Periodicidade de publicação de poemas

Caros leitores:
Espero que desfrutem na visita a este espaço literário. Este sítio virtual chama-se “Maria Mãe” e tem como página principal os poemas de Maria Helena Amaro.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Vento


(Quadro a óleo de Maria Helena Amaro)

Ó vento que beijasflor
não me batas na vidraça,
que eu penso que é meu amor
que na minha rua passa...

Ó vento que és frescor,
não me batas na vidraça,
que eu penso que é meu amor
que me chama e que me abraça.

Ó vento tu gemes tanto
no meio do arvoredo.
Vens recordar o meu pranto,
minha dor e meu segredo.

Ó vento cantas aurora
no cume da madrugada.
Vens lembrar-me a toda a hora
esta vida estagnada.

Maria Helena Amaro
Julho, 2010.

Sem comentários:

Publicar um comentário