Periodicidade de publicação de poemas

Caros leitores:
Espero que desfrutem na visita a este espaço literário. Este sítio virtual chama-se “Maria Mãe” e tem como página principal os poemas de Maria Helena Amaro.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Luto


(Ilustração de Maria Helena Amaro)

Rugia o vento e tudo avassalava.
Caía a chuva grossa, persistente.
Fevereiro frio, de inverno impenitente.
Mágoas sem nome que a alma estilhaçava.

Não era eu que chorava e gemia.
Naquela tarde de duro temporal.
Tonta de dor no negro funeral
Era a minha alma que contigo partia.

Não fiz o luto. Não aceitei fazê-lo.
Tornou-se a mágoa um duro pesadelo.
Aprendi a caminhar mendiga e só...

Aquele dia... eu não posso esquecê-lo...
Eu tinha o teu amor... não quis perdê-lo.
Sabe-me a vida a noite, a dor, a pó.

Maria Helena Amaro
Novembro de 2014.

Sem comentários:

Publicar um comentário