Periodicidade de publicação de poemas

Caros leitores:
Espero que desfrutem na visita a este espaço literário. Este sítio virtual chama-se “Maria Mãe” e tem como página principal os poemas de Maria Helena Amaro.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Cotovia







(Ilustração de Maria Helena Amaro) 

Ninguém ouve a cantilena
da cotovia que passa
(cantilena de desgraça)
escutar não vale a pena...


Nos caminhos desta vida
quando passa a cotovia
foi-se a noite, vem o dia
cheio de sol sem medida.


E então esta gente canta
manda p'ra longe a desdita
só quer da sorte bendita
a cantilena que encanta.


Maria Helena Amaro
Julho, 1997

Sem comentários:

Publicar um comentário