Periodicidade de publicação de poemas

Caros leitores:
Espero que desfrutem na visita a este espaço literário. Este sítio virtual chama-se “Maria Mãe” e tem como página principal os poemas de Maria Helena Amaro.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A chuva


(Ilustração de Maria Helena Amaro)

Tão depressa se vai a madrugada
para que o sol ridente
ilumine a estrada
e a alma da gente...
Mas a chuva teima 
em se mostrar
serena, persistente,
a cair, a molhar...
Tão depressa é fria e fustigante
a penetrar nas ruelas desertas
tão negra e descuidada
como a capa pendente de estudante.
Enche a cidade de água.
Os corpos de humidade.
E a avenida é toda rios, mágoa,
sarjeta de revolta e de saudade.

Maria Helena Amaro
Braga, outubro de 2013. 

Sem comentários:

Publicar um comentário